Nos arredores de Nápoles – O que ver, fazer e comer!

Mais um dia na Itália e mais um post pro Diz aí Gi…

O destino da vez era Casertavecchia. Já ouviu falar? Então deixa que eu te explico.

UFC II 728x90

Sabe aquele filmes com aquelas cidades medievais aonde a iluminação era por conta de velas e candelabros e as pessoas bebiam e comiam muito? Foi meio isso que pensei quando pisei em Casertavecchia, me senti num filme medieval .

Essa pequena e antiga cidade na Itália (fala-se que foi criada em 861) fica a uns 50 minutos de Nápoles (arredores de Nápoles), mais ou menos, indo de carro. Fica nas encostas das Montanhas Tifatini, a 401 metros de altura e de lá temos a vista da Nova Caserta, que nada mais é do que a Casertavecchia mais “moderna”.

Lá soube que as casas foram construídas com a  pedra de tufo que é uma rocha de origem vulcânica , típica da região. A cidade tem seus encantos e seus segredos, parece um pouco misteriosa sabe? Talvez fosse o clima meio nevoado (nem sei se existe essa palavra) que fazia no dia. O fato é que restaurantes e lojinhas de artesanatos faziam parte dos atrativos locais.

Mas o que gostei mesmo foram as passagens… Gente, quando olhamos de longe parece que não dá pra passar, aí quando chegamos perto dá sim, mas se vier pelo outro lado não dá pra passar ereto, tem que se abaixar um pouco. Claro, isso se aplica a pessoas altas porque no meu caso eu passo sempre com facilidade.

Nesse vídeo você pode ver um pouco do que estou falando:

O passeio é rápido, não leva mais que 1 hora , isso feito com bastante calma e sem parar pra fazer compras nas lojinhas.

Optamos em não almoçar lá e fomos à caça de um restaurante super badalado da região, o La Fenice.

O La Fenice fica em Caserta, a uns 5 minutos de carro de Casertavecchia e você tem que ter cuidado pra não fazer que nem a gente e passar por ele sem notar que passou. Pois é, por fora, parece mais uma casa normal, mas é um restaurante super badalado da região e foi por lá que paramos pra almoçar.

Como já mencionei aqui, nesse viagem decidimos, eu e o Luciano, sermos o Senhor e Senhora “Sim Senhor” e provarmos tudo o que era de comida típica de cada região que fossemos. Tenho que confessar que esse foi o dia mais punk de todos, foi hard mesmo.

Primeiro eu descobri que os italianos servem 2 tipos de antepastos, um eles chamam de “antepasto do mar” e outro “antepasto da montanha”. Como estávamos nas mãos de um “italiano da gema”, que era o Andrea, deixamos que decidisse por nós e a decisão dele foi o “antepasto da montanha” com um brinde especial no final.

Tudo ia maravilhosamente bem, tudo gostoso…até ele falar o italiano que só os italianos entendem com o garçom e eu ver o rosto da minha amiga Lia estranhar o pedido. Putz, sabia que vinha algo “no limite” pra nós. Mas antes de dizer qual era o prato que veio para fechar com “chave de ouro” nosso almoço, peço que vejam esse vídeo. Nele vocês verão todo o nosso desespero…

Atenção Rede Globo, já pode nos chamar pra o próximo “No Limite”… #Zulivre

O bom era que as pessoas nas mesas ao lado todas riam do nosso desespero.

Aí vocês podem querer saber: “Mas eles comem Boca de Vaca?”

Eu fiz essa mesma pergunta e a resposta foi que “Comem sim, mas não é algo comum”. Quando vou explicar pra alguém isso lembro de carne de rã, aqui tem, mas é raro e exótico, nem todos comem. É tipo isso sabe?

– “Gi, você comeria novamente?”

– “Nãooooooo”

Valeu a experiência, mas já passou… #ufa

A certeza de que foi uma pegadinha é que nem o Andrea comeu e a Lia, que já mora lá há anos, nunca tinha visto também. Enfim, o fato é que precisávamos de uma ótima sobremesa para compensar o gosto de “beiço de vaca” na boca mesmo depois de engolir litros de água.

A idéia era bater perna no outlet e até fomos, mas logo saímos. Era domingo, estava lotado e nossa intenção era NÃO comprar nada, então não valia a pena né? Mas vale ressaltar que essa época (final de agosto) tem vários “queimas” por lá. Super descontos em tudo que é loja. Se você vai com dindin $$ pra comprar, vale a pena demais.

#PartiuShopping mas não era pra comprar não. O motivo de enfrentar o shopping Campania looootado em pleno domingo que não tinha sol (por isso o povo correu pros shoppings) era experimentar o famoso sorvete da La Scimmietta, considerado o melhor dos melhores de toda a região.

Putzzzzzzzzz….maraviiilhaaaaaaaaa… Experimentamos os sabores pistacchio, fior di latte e happy hippo (obrigada Lia por me lembrar disso). Juro, nunca comi um melhor. Uma pena que não tenho nenhuma foto pra mostrar. Quando vi a fila fazendo cobrinha de tão lotada pensei “só pode ser bom mesmo pra tanta gente se estapear por ele”.

Por hoje, esgotei minhas aventuras gastronômicas italianas. Mas tem mais pra contar. Segura aí….


Summary
Review Date
Reviewed Item
Dicas de Nápoles e seus arredores
Author Rating
5
Comenta Ai!
  1. Andreh says:

    já ouviu a palavra que lê-se “ingúiar”?
    foi o q aconteceu comigo só de ver o beiço de vaca… hahaha!

    Responder

Deixa ai uma resposta

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.