Vivendo o Sonho da Costa Amalfitana

Chegamos a um ponto da viagem em que realizo um sonhoconhecer a Costa Amalfitana, um paraíso no Mar Tirreno. São 50 quilômetros de muita beleza.

Antes, muito antes de virar “point”, eu já amava esse lugar mesmo sem conhecer. Lembro que falava que a Costa estava na minha lista TOP 10 dos lugares do mundo que eu queria conhecer e muitos diziam “onde fica isso?”

Hoje é muito mais conhecida e super desejada. Como já mencionei aqui, nosso amigos planejaram uma super trip de barco pela Costa e por Capri, mas com a mudança de clima tudo mudou. Não teve problema, fomos de carro.

Aqui deixo uma dicacuidado ao alugar um carro para ir a Costa Amalfitana !!!!!!! Digo isso por muitos motivos:

  • A estrada não é lá essas coisas de boa.
  • A rota é cheia de curvas, estreita (afinal subimos e descemos uma encosta) e um tanto perigosa.
  • Os italianos dirigem perigosamente.
  • A minha dica é, contrate um serviço que te leve e faça o turismo ou que te leve até o seu hotel.

Nápoles >>> Costa Amalfitana (suas cidades)

  • Distância: 50 Km (média)
  • Tempo: vai depender da época em que for, do engarrafamento e do número de paradas que fizer no caminho.

 

GIF Mobile Price 480X80

A Minha rota –  Amalfi, Ravello e Positano.

Cada um mais lindo que o outro e a beleza começa no caminho. Em vários pontos no meio da estrada pode-se ver turistas parando para registrar em fotos toda a beleza do lugar.

É uma rocha, uma construção na encosta, a água cristalina… Tudo vira motivo para uma fotinha!

Falando em belezas no meio do caminho, se você vai de carro, esteja atento para visitar o Fiordo di Furore. Lindo lindo lindo! No meio do nada uma beleza daquelas e, por isso, vale a pena tirar várias fotos. É incrível! Aqui faço uma pausa para agradecer mais uma vez a minha amiga Lia que além de ser nossa anfitriã, nos ofereceu seus dons artísticos como fotografa!

As cidades mais parecem pinturas mesmo, tudo aquilo que a gente vê em fotos. Muita cor em cada detalhe. Era verão, então alguns detalhes ficaram em minha mente nessas 3 cidades:

  • Era nítido que estávamos em pleno verão europeu pelo calor, mas o vento da Costa sempre era generoso.
  • Trânsito intenso – carros por todos os lados. E aqui faço uma observação, todos eram vespas (ou similares) e carros de pequeno a médio porte. Quase não se via pickups, por exemplo. Quando um ônibus vinha, a impressão era que não dava pra passar, mas sempre dava!
  • Muita gente – as cidades estavam lotadas, era gente por todo lado, tanto visitantes como hospedados por lá mesmo.
  • A cor do verão – gringo quando bronzeia a gente sabe logo né? Pois isso se via nitidamente, eles curtiam mesmo cada minuto de sol.
  • Cara de gente rica – mesmo que você não seja, parece que ao chegar lá acontece uma mágica e você fica com a cara da riqueza. O lugar passa isso sabe? #meumomentoryca
  • Lojas de grifes por todo lado – e além delas, lojas de obras de arte. Muitas!
  • Praias disputadas – mesmo as particulares, aonde se pagava para usufruir das cadeiras, eram lotadas. Cada canto tinha gente.
  • Iates para todos os gostos e bolsos – é de babar cada iate que vimos por lá. Um post especial virá para um que quase caio dura quando soube do valor.
  • Caristia por todo lado – sim, tudo é caro, ainda mais nessa época. Hospedar-se por lá só em troca do seu rim, menos que isso é impossível. Mas dá pra se virar sim e gastar menos, só não sente em qualquer restaurante e vá pedindo antes de conferir os preços.

Por exemplo, se hospedar no famoso Le Sireneuse ou simplesmente tomar um drink por lá pode te custar muito caro, ainda mais no verão. Esse badalado e luxuoso hotel é para poucos, mas conseguimos conhecê-lo com nossa imensa “cara e coragem” de nordestinos. Quem me acompanha no Snapchat (dizaigi) pôde ver essa aventura. Foi super divertido, ainda mais porque acharam que éramos hospedes….hahahahahha. Nessa hora me senti RYYYca mesmo. Serviu para irmos até o famoso restaurante com uma vista espetacular de Positano, tirar umas fotos e postar no insta como se fosse hóspede (finge que é fina) e sair de fininho.

Quem sabe não volto lá como hospede mesmo, super acredito na Lei da Atração e ela só me atrai pra esse tipo de lugar …hahahahahha.

Concluindo esse post, digo que a Costa Amalfitana deveria estar na lista de lugares para conhecer no mundo de qualquer pessoa. Todo mundo merecia ver, pelo menos uma vez na vida. Espero voltar e curtir mais dias por lá.

Fico por aqui, mas volto com mais!

Europa_vuelos_300x250

Summary
Review Date
Reviewed Item
Dicas da Costa Amalfitana
Author Rating
4
Comenta Ai!
  1. Naiara says:

    Oi, Gi, adorei suas dicas sobre a Costa Amalfitana.
    Gostaria de saber em que mês você foi.
    Estou querendo passar a minha lua-de-mel lá, mas o casamento está marcado para novembro e já li que após setembro o clima não fica tão favorável. É isso.
    Se puder me informar, grata. :*

    Responder
    • Gi says:

      Olá…tudo bem? Desculpa a demora em responder, mas estava sem conseguir entrar no site 🙁 Bem, fui em Agosto, ou seja, em pleno verão europeu. Olha lá é lindo em qualquer época, mas acho que vale mesmo a pena ir no verão ou primavera (abril a junho) porque é praia, mar sol, flores e brisas. O lado negativo do verão período são os valores, que ficam bemmmm mais caros, e a lotação. Já ouvi falar que no inverno também fecham muitos restaurantes e passeios por lá. Então é bom você ver isso direitinho. Ok?

      Responder
  2. Isa says:

    Oiii, Gi boa noite, tudo bem ?
    Adorei as suas dicas!!
    Gostaria de saber se quando vc foi se hospedou em todas as cidade ou fez bate e volta!
    Estou indo em julho com meu namorado e estamos pensando em fazer bate e volta, sendo nossa base Nápoles, já que a hospedagem la e bem mais em conta.
    vc acha que da para fazer??
    Tem alguma dica de hospedagem ?
    bjuss
    muitooo obrigada!!!

    Responder

Deixa ai uma resposta

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.