O que fazer em Roma em apenas 1 dia – COMO EU FIZ!

Voltando com dicas de Roma, mas dessa vez como eu fiz, quais os lugares visitei em um único dia.

Não é fácil optar não, são muitos lugares pra ver e como tudo é arte, cheio de história, você sempre tem a sensação de ter deixado de ver o “mais massa” das atrações turísticas.

Antes de listar quais pontos turísticos eu e o maridão visitamos, vale a pena lembrar que no post anterior compartilhei as dicas de minha amiga Lia me passou, já que ela morou lá e conhece bem Roma. Se não viu é só clicar aqui.

Falei também em como economizei para ter internet para nós dois, eu e Luciano, e ainda a dica de onde se hospedar por lá. Ok?

Então vamos começar? Vou listando pela ordem que seguimos ok?

Gente, é um muuunnnndoooo e é incrível. Amei muito. Poderia passar o dia inteiro lá e não repetir uma obra sequer. Claro, tínhamos pressa, mas tínhamos muito interesse em andar todo o museu e por isso gastamos toda a nossa manhã por lá, posso dizer que foi corrido ein.

Como falei no post passado, compramos nossos ingressos com hora marcada antecipadamente pelo site.

Existe a possibilidade de alugar um guia, aqueles do tipo rádio que vai explicando cada obra, o que tem em cada sala, etc. Não lembro ao certo, mas acho que era 7 euros o aluguel. Optamos em não pagar, mas com certeza de uma próxima vez faço isso. Nos sentimos perdidos em várias obras.

Como diz aqui no meu Ceará, “demos uma de gaiatos” e pegamos um embalo de uma excursão de brasileiros que tinham um guia que explicava tudo, seguimos esse grupo por um tempo mas depois nos perdemos…kkkkkkkk.

Eu fiquei totalmente encantada com o lugar grandioso onde tudo era ideal pra foto. Mas me decepcionei um pouco com a Capela Cistina.

Esperava um lugar de paz, sabe?! Não tem nada disso. Talvez seja o lugar mais esperado por todos lá e por isso achei o ambiente mais lotado.

Logo ao entrar ouvimos os “berros” dos guardas que pediam silêncio aos visitantes. Achamos um pouco demais, já que os gritos deles faziam bem mais barulho do que os dos visitantes.

Depois gritavam dizendo não ser permitido foto. Claro, na entrada existe uma placa dizendo não ser permitido tirar foto mas todo mundo dava seu jeitinho. A dica é, usa o celular (sem flash) e disfarça, não faz pose porque não rola mesmo. O outro motivo dos gritos eram sobre as mulheres que estavam com os ombros descobertos, não pode não. Eu levei um cardigan porque já sabia desse detalhe, mas vi que lá eles dão tipo uma bata cirúrgica pra quem não leva nada, mas quando acabou várias pessoas tiveram que esperar chegar mais e isso acumulou gente na entrada.

Minha dica, leva um casaquinho leve, desses que amarra na cintura, ou um lenço na sua bolsa/mochila. O meu cardigan serviu só pra esse momento, porque Roma estava tão quente (fui no verão) que nem usei mais.

Depois de andar pra “dedéu” naquele mundo de meu Deus que é o Museu do Vaticano, pegamos um taxi e fomos para Piazza del Popolo, onde fica as igrejas gêmeas.

Aliás, o pátio delas estava cheio de jovens romanos, parecia um “ponto de encontro”, sabe? galera curtindo.

Tiramos nossas fotos e fomos andar na Via del Corso, rua que fica entre as igrejas gêmeas e que é cheia de lojas, restaurantes bacanas e artistas vendendo suas obras nas calçadas. É lotada e todos andam pela rua, somente carros autorizados passam por ali.. É quase um lugar pra desopilar.

Seguimos para a Fontana di Trevi. Querem saber? Vou ter que voltar lá pra vê-la funcionando. Pois é, estava toda em reforma.

Mesmo assim todos jogavam suas moedas por cima das estruturas (nós jogamos). O lugar estava lotado e cheio de policiais, aliás, esse foi o único lugar que vimos tanto policiamento nas ruas. Devia ser mais pra controlar o público, porque a palavra “perigo” nem se falava por lá.

#PartiuPantheon

Lá marcamos de nos encontrar com nosso casal de amigos e “guias” da nossa temporada italiana. Ah, preciso dizer que as fotos lindas e profissionais desse post são da Lia Facó que além de guia para amigos é fotografa particular. Juro, já disse a ela pra fazer exposição das suas fotos. Lia tem um acervo próprio de dar inveja a qualquer um. Ela fez esse mega mimo conosco já que viajávamos com celulares que quebravam o galho como câmera fotográfica.

Estava tendo missa no Panteão (nem sabia que tinha) e após a missa, conhecemos, tiramos nossas fotos e fomos para o próximo lugar da lista.

Próxima parada, Piazza di Spagna, com suas escadas lotadas de gente. Demoramos super pouco aqui, já estava anoitecendo e tínhamos que jantar antes do nosso último compromisso.

Esqueci de anotar o nome do restaurante, mas por lá existem vários. Em cada ruazinha tem um monte, cheios de gente e para todos os gostos. Comemos e bebemos suuuuuperrrr bem. Foi uma típica recepção italiana de boas vindas, massa e um potente prosecco.

Literalmente corremos para o Coliseu. Lia e Andrea reservaram uma visita guiada noturna que acontece em algumas noites do verão. Pegamos a seção das 20:00. Uma palavra define – INCRÍVELLLLLLLLLLLL.

A visita foi show, super recomendo se puder fazer essa visita a noite. A única coisa que pode te impedir de fazer esse tipo de visita é não falar, ou pelo menos entender, inglês. Isso mesmo, esse tipo de visita é feita por um guia que só fala inglês. Então se não souber, não arrisque pois não vai entender nada.

Vale dizer que saber inglês é um ponto muito positivo na Itália (se não fala italiano) pois te permite economizar horas nas filas de turismo guiado pois elas são beeem maiores pra quem precisa de tradução.

O lugar é fantástico, é muita história, muita história mesmo. Voltaria lá commm certeza.

Assim encerramos nosso dia em Roma. Não vimos tudo, mas tudo o que vimos valeu super a pena.

No próximo post é a vez de Napoli…Muita coisa legal ainda pra contar… Nos vemos já já… Beijim!!




Summary
Review Date
Reviewed Item
Dicas de Roma
Author Rating
5

Trackbacks para esse Post

  1. Hotel em Nápoles - A Minha Dica é... - Diz Aí Gi
  2. O que Fazer em Nápoles - Dica de Passeio Imperdível, Nápoles Subterrânea! - Diz Aí Gi